terça-feira, 26 de agosto de 2014

Literatura brasileira


Periodização da literatura brasileira





“Na escola literária não há discípulos: só há mestres.” 
(Carlos Drummond de Andrade)

As eras e as escolas

A literatura brasileira tem sua história dividida em duas grandes eras, que acompanham a evolução política e econômica do país: a Era Colonial e a Era Nacional, separadas por um período de transição, que corresponde à emancipação política do Brasil. As eras apresentam subdivisões chamadas escolas literárias ou estilo de época. Dessa forma, temos:

Era Colonial (de 1500 a 1808)

  •  Quinhentismo (de 1500 a 1601)
  •  Seiscentismo ou Barroco (de 1601  a 1768)
  •  Setecentismo ou Arcadismo (de 1768 a 1808)


Período de transição (de 1808 a 1836)


Era Nacional (de 1836 até  os nossos dias)

  •          Romantismo (de 1836 a 1881)
  •          Realismo/Naturalismo (de 1881 a 1893)
  •          Simbolismo (de 1893 a 1922)
  •          Modernismo (de 1922 até 1945)
  •          Pós Modernismo (de 1945 até nossos dias) 


As datas que indicam o início e o fim de cada época têm de ser entendidas apenas como marcos. Toda época apresenta um período de ascensão, um ponto máximo e um período de decadência (que coincide com o período de ascensão da próxima época).
Dessa forma podemos perceber, ao final do Arcadismo, um período Pré-Romantismo; ao final do Romantismo um Pré-Realismo, e assim por diante. De todos esses momentos de transição, caracterizados pela quebra das velhas estruturas (apesar de “o novo sempre pagar tributo ao velho”), O mais significativo para a literatura brasileira foi o Pré-Modernismo (entre 1902 e 1922), em que se destacam Euclides da Cunha, Monteiro Lobato, Augusto dos Anjos e Lima Barreto.



Painel histórico-literário brasileiro Era colonial


Estilo de
época
Quinhentismo
Seiscentismo
ou Barroco
Setecentismo 
ou Arcadismo
Período de transição
Panorama
Mundial
Grandes navegações
Companhia de Jesus
Contra-Reforma
Portugal sob
domínio espanhol
Iluminismo
Revolução Industrial
Revolução Francesa
Independência do EUA
Guerras
napoleônicas
Panorama
brasileiro
Literatura
Informativa
Literatura dos
Jesuítas


1500
Invasões holandesas
Grupo Baiano


1601
Ciclo da Mineração
Inconfidência
Mineira


1768
Corte portuguesa
no Rio de Janeiro
Independência
Regências


1808


Era nacional

Romantismo
Realismo/ Naturalismo
Simbolismo/Pré-Modernismo
Modernismo

Burguesia no poder
Socialismo
Evolucionismo
Positivismo
Lutas antibur- guesas
2ª Revolução Industrial

Pré-Guerra
I Guerra Mundial
Freud e a Psicanálise
Revolução Russa
Vanguardas artísticas
Nazismo
Fascismo
II Guerra Mundial
Guerra Fria

II Império
Guerra do Paraguai
Lutas abolicionistas
Literatura nacio- nal

1836
Abolição
República
Romance realista
Romance naturalista
Poesia parna- siana

1881
Governo de Floriano
Revolta da Armada
Revolta de Canudos



1893
Ditadura de Vargas
Semana da Arte Moderna
As gerações modernistas

1922- Nossos dias

Nenhum comentário:

Postar um comentário