quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

 BARROCO




Prosopopeia
          
I
Cantem Poetas o Poder Romano,
Sobmetendo Nações ao jugo duro;
O Mantuano pinte o Rei Troiano,
Descendo à confusão do Reino escuro;
Que eu canto um Albuquerque soberano,
Da Fé, da cara Pátria firme muro,
Cujo valor e ser, que o Ceo lhe inspira,
Pode estancar a Lácia e Grega lira.

II
As Délficas irmãs chamar não quero,
que tal invocação é vão estudo;
Aquele chamo só, de quem espero
A vida que se espera em fim de tudo.
Ele fará meu Verso tão sincero,
Quanto fora sem ele tosco e rudo,
Que per rezão negar não deve o menos
Quem deu o mais a míseros terrenos.

Esse poema, além de traçar elogios aos primeiros donatários da capitania de Pernambuco, narra o naufrágio sofrido por um deles, o donatário Jorge Albuquerque Coelho. Apesar de os críticos o considerarem de pouco valor literário, o texto tem seu valor histórico pois foi a primeira obra do Barroco brasileiro e o marco inicial do primeiro estilo de época a surgir no Brasil.

Ao mesmo assunto e na Mesma Ocasião

Pequei Senhor: mas não porque hei pecado,
Da vossa Alta Piedade me despido:
Antes, quanto mais tenho delinqüido,
Vos tenho a perdoar mais empenhado.


Se basta a vos irar tanto pecado,
A abrandar-vos sobeja um só gemido:
Que a mesma culpa, que vos há ofendido,
Vos tem para o perdão lisonjeado.


Se uma ovelha perdida, já cobrada,
Glória tal, e prazer tão repentino
Vos deu, como afirmais na Sacra História,

Eu sou, Senhor, ovelha desgarrada;
Cobrai-a; e não queirais, Pastor Divino,
Perder na vossa ovelha a vossa glória

Gregória de Matos 

" O que vos parece? Suponhamos que um homem possua cem ovelhas e uma se extraviou. Não deixará ele a noventa e nove na montanha para ir buscar a ovelha que se extraviou." Mt 18:12.

O exemplo mais conhecido de sua literatura sacra é o soneto A Jesus Cristo Nosso Senhor. Numa curiosidade dialética o poeta apela para a infinita capacidade de Cristo em redimir os piores pecadores alegando que a ausência de perdão representaria o fim da glória divina. Trata-se pois, de um poema simultaneamente contrito e desafiador humilde e presunçosa.
Baseia-se numa passagem do Evangelho de S. Lucas, precisamente no capítulo 15, versículo  2 a 7, onde Jesus Cristo conta-nos a parábola (uma narrativa curta que transmite um conteúdo moral) da ovelha perdida e conclui dizendo que há grande alegria nos céus quando um pecador se arrepende do pecado.




Período:  Séc. XVII e  XVII
Marco inicial: 1601, com a publicação do poema épico prosopopeia, de Bento Teixeira.
Termino: 1768, com a publicação de Obras de Claudio Manuel da Costa.

Considera-se o ano de 1601 como o inicio do Barroco no Brasil com a publicação de Prosopopeia de Bento Teixeira Pinto. Esse movimento estende-se até 1768, quando se publica Obras de Claudio Manuel da Costa que marca o seu fim e o inicio do Arcadismo.
O contexto histórico em que se desenvolve esse movimento artístico caracteriza-se pela total alteração da visão de mundo do homem ocidental que passa a viver um angustiante conflito consigo mesmo.
Como vimos a Idade Moderna, com as grandes descobertas e a alteração do olhar do homem sobre si, que passa a reconhecer seus potenciais, passará a dominar uma visão antropocêntrica do mundo, isto é, o homem como o centro do universo.
Ainda no séc. Séc. XVI, ocorre a Reforma Protestante e a Igreja, sentindo seu poder ameaçado, organiza a Contra Reforma numa tentativa de restabelecer o espirito medieval, sobrepondo  Deus aos homens. Diante disso o homem se vê dividido entre o materialismo e o espiritualismo a razão e a fé, a carne  e a alma, o prazer o pecado, o terreno e o divino, o inferno e o céu.
A literatura dos 1600, por isso chamada seiscentista, é assim pela angustia, pela insegurança, pelo questionamento e pela oscilação entre os elementos opostos.
O termo barroco é controvertido, alguns etimologistas afirmam que está ligado a um processo mnemônico ( relativo a memória) que designaria um tipo de pérola de forma irregular ou mesmo um terreno desigual assimétrico.

MOMENTO HISTÓRICO

  • Contra-Reforma da Igreja
  • As Invasões Holandesas

No Maranhão

  • Fundação de São Luis em 08/09/1612
  • Revolução de Backmam em 1684
  • Batalha de Guaxenduba. Novembro de 1614
  • Invasão Holandesa no Maranhão. Novembro de 1641

No Recife
  • Guerra dos Mascates (1710 - 1711)

CARACTERÍSTICAS

  • Conflito entre o material e o espiritual
  • Pessimismo
  • Desequilíbrio entre a razão e a emoção
  • Dualidade; contradição
  • Tendência a ilusão (descrição indireta)
  • Predomínio das figuras de linguagem como metáfora, antítese,  paradoxo e hipérbole, o hipérbato.
  • cultismo: caracterizado pela linguagem rebuscada, culta, extravagante, pela valorização do pormenor mediante ao jogo de palavras.
  • conceptismo: marcado pelo jogo de ideias de conceitos, seguindo um raciocínio lógico racionalizada que utiliza uma retorica aprimorada.
PRINCIPAIS AUTORES 

  • Bento Teixeira
  • Gregório de Matos Guerra
  • Manoel Botelho de Oliveira
  • Pe. Antonio Vieira

Nenhum comentário:

Postar um comentário